Comissão Especial de Inquérito vai investigar fraude na administração Paulo Ronan

O Objetivo é dar uma resposta ao clamor popular por justiça

Publicado em: 20 de abril de 2012

O Objetivo é dar uma resposta ao clamor popular por justiça

 

Duas denúncias de compras fraudulentas feitas pela prefeitura de Águas de São Pedro foram protocoladas na Câmara, endereçadas ao presidente da Casa, Nelinho Noronha (PT), pela Associação de Moradores e Amigos de Águas de São Pedro – AMAAS. Na primeira delas, a prefeitura apresenta notas fiscais de uma empresa que, segundo a AMAAS, “ora apresenta-se como imobiliária, ora como marmoraria ou ora como clínica de estética, serviços e produtos, o que em nada condiz com a compra supostamente realizada pela Secretaria de Educação e que a certidão emitida pela prefeitura demonstra todas essas mudanças no objeto social da empresa indicando ter ocorrido processo fraudulento”, denuncia a Associação.

Já no segundo caso, a AMAAS aponta que “observou-se que a empresa fornecedora já havida sido fechada e baixada no órgão fiscal, situação que macula a legalidade com o qual o procedimento fora tomado”, esclarece.

Depois da divulgação, em rede nacional, da reportagem da TVB Record, no Programa “Balanço Geral” - que pode ser vista ao digitar no “google”: “denúncias são feitas contra prefeitura de Águas de São Pedro - TVB, falando das despesas com os fornecedores Josélia Maria Alves e Supermercado Dias Vinha Ltda, a AMAAS solicitou, através de protocolo, que o vídeo exibido pela TVB fizesse parte integrante das denúncias.

No vídeo, o ex-proprietário do supermercado, fechado há mais de quatro anos, cuja nota fiscal aparece na denúncia, desabafa ao dizer que nunca fez qualquer negócio com prefeitura nenhuma. “Jamais a gente fez negócio com prefeituras; mesmo aqui em São Pedro nunca vendemos nem uma agulha para eles. Nossa mercadoria era tão pouca que mal dava para atender aos moradores deste bairro”, disse Aroldo Vinha.

A reportagem fala, também, de uma compra da Secretaria da Educação feita através de nota fiscal com nome de um centro de estética com endereço onde, atualmente, funciona uma imobiliária e que já foi o comitê do PSDB (partido político do prefeito Paulo Ronan) e que, antigamente, era uma loja de pedras decorativas.

Sobre a possível compra de material de estética pela Educação, a repórter afirma, referindo-se ao prefeito Paulo Ronan que quem assinou a autorização de compra, ou seja, ele mesmo, não sabe o que foi comprado. “Centro de estética, não sei. Quem sabe foi para comprar maquiagem para as crianças?”, desconversou o prefeito.

Diante da gravidade da situação, do clamor popular e das estratégias políticas dos vereadores aliados ao prefeito Paulo Ronan, que insistem em sequer acatar as denúncias, os vereadores Carlos Eduardo Gonçalves, Célio do Nascimento e Nelinho Noronha (PT), vão utilizar a CEI (Comissão Especial de Inquérito) para apurar as denúncias da AMAAS.

“Apesar de não termos, ainda, nenhuma posição formada sobre o assunto, as denúncias precisam ser investigadas para dar uma resposta aos eleitores de Águas de São Pedro e punir os possíveis culpados”, disseram.

“Contamos tanto com o apoio da Assessoria Jurídica da Casa como com a presença dos nove vereadores para apurar todos os pormenores apresentados nas denúncias”, concluem os vereadores.


Publicado por: Câmara de Vereadores

Cadastre-se e receba notícias em seu email